Cansado de ser segundo piloto, Mark Webber deixa a F1 - Foto: Silvia Izquierdo/News Limited

Cansado de ser segundo piloto, Mark Webber deixa a F1 – Foto: Silvia Izquierdo/News Limited

O que no começo do ano era só um rumor agora realidade. Mark Webber anunciou quinta-feira (27) que vai deixar a F1 e ingressará no programa da Porsche no Mundial de Endurance (WEC), no ano que vem. Com o anúncio, abre-se pela primeira vez em cinco anos uma vaga na Red Bull e o mais cotado para ficar com a vaga do australiano é Kimi Räikkönen, amigo pessoal de Sebastian Vettel.

 

“É uma honra ingressar na Porsche em seu retorno à categoria máxima em Le Mans e no Mundial de Endurance. A Porsche escreveu uma história como montadora e representa a tecnologia e o desempenho em seu mais alto nível. Estou muito ansioso por este novo desafio após minha passagem pela F1. A Porsche, sem dúvida, estabeleceu metas muito altas. Mal posso esperar para pilotar um dos protótipos mais rápidos do mundo”, declarou Webber.

 

Além de Webber, a Porsche já confirmou Neel Jani, Romain Dumas e Timo Bernhard em sua operação na LMP1. No ano que vem, a companhia de Stuttgart retorna à principal classe do endurance após 16 anos distante das provas de longa duração. A última vez que disputou as 24 Horas de Le Mans na LMP1 foi em 1998.

 

“Estou muito satisfeito por ter assegurado Mark Webber no nosso projeto, pois ele é um dos melhores e mais bem-sucedidos pilotos de F1 da nossa era”, declarou Wolfgang Hatz, membro do departamento de pesquisa e desenvolvimento da Porsche. “Mark, sem dúvida, é um dos melhores pilotos do mundo. Tem experiência nas 24 Horas de Le Mans e, ainda por cima, é um entusiasta da Porsche há alguns anos”, acrescentou.

 

Já o diretor esportivo da Porsche, Fritz Enzinger, que trabalhou na BMW Sauber no fim dos anos 2000, também se mostrou entusiasmado com a chegada do australiano. “Aprendi a apreciar as qualidades de Mark quando ambos estávamos envolvidos na F1. É um dos melhores pilotos que poderia imaginar para nossa equipe. Estou absolutamente encantado por termos um piloto tão regular e experiente no time a partir de 2014”, declarou.

 

 

Webber e Vettel nunca foram amigos, a desobediência do alemão, em Sepang, acendeu o estopim - Foto: Getty Images

Webber e Vettel nunca foram amigos, a desobediência do alemão, em Sepang, acendeu o estopim – Foto: Getty Images

Para Webber, esta será sua primeira experiência com protótipos. Em 1998 e 1999, ele disputou as 24 Horas de Le Mans nas classes GT1 e GTP com a Mercedes-Benz antes de retornar aos monopostos em 2000, para correr na F3000, onde seu melhor resultado foi um vice-campeonato da categoria antes de seguir para a F1 em 2002 para pilotar pela Minardi, Jaguar e Williams.

 

Em 2007, Webber foi contratado pela Red Bull, onde, apesar de consistente, nunca atingiu o mesmo nível de excelência do companheiro de equipe, o então novato Sebastian Vettel, com quem o relacionamento não foi dos melhores. A bomba-relógio estourou no GP da Malásia deste ano, quando o alemão descumpriu uma ordem do comando da equipe, ultrapassou o veterano australiano e venceu a prova. A desobediência do tricampeão mundial lhe rendeu um puxão de orelha da equipe e, possivelmente, tenha sido o motivo do descontentamento de Webber, que agora deixa a categoria.