Vettel comemorou vitória na Hungria como se fosse do título de pentacampeão - Sutton Images

Vettel comemorou vitória na Hungria como se fosse do título de pentacampeão – Sutton Images

Sebastian Vettel, da Ferrari, quebrou a hegemonia da Mercedes e venceu, domingo (26), o atabalhoado GP da Hungria, disputado no circuito de Hungaroring, seguido do surpreendente piloto russo Daniil Kvyat e do austrialiano Daniel Ricciardo, ambos da Red Bull. Nesta etapa, o cavalinho rampante de Maranello virou Pégaso, não tomou conhecimento do favoritismo da estrela solitária, que ainda foi atropelada por dois touros. Cheia de alternativas, a etapa foi marcada, também, por um comovente minuto de silêncio dos pilotos antes da largada pela morte do piloto francês Jules Bianchi, falecido em 17 deste mês aos 25 anos, em Nice, vítima de um gravíssimo acidente no GP do Japão, a primeira morte após o trágico GP de Ímola de 1995, que marco a morte do tricampeão mundial Ayrton Senna.

 

Antes da largada, os pilotos fizeram um mintuo de silêncio em homenagem a Jules Bianchi - Dan Istitene/Getty Images

Antes da largada, os pilotos fizeram um minuto de silêncio em homenagem a Jules Bianchi – Dan Istitene/Getty Images

Max Verstappen, da Toro Rosso, terminou em quarto, seguido por Fernando Alonso, da McLaren, que, de novo, levou o carro pelo pescoço a quinta colocação, graças, também, ao elevado número de incidentes. O inglês Lewis Hamilton, pole em Hungaroring, não largou bem e se envolveu em incidentes, mas, mesmo assim, terminou a corrida em sexto, duas posições à frente de seu principal concorrente ao título, o alemão Nico Rosberg. O estabanado piloto da Lotus, Romain Grosjean, terminou em sétimo, Jenson Button, da McLaren, em nono, e Marc Ericsson, com a claudicante Sauber, completou o top-10. Nasr terminou em 11º seguido de Massa.

 

Após cruzar a linha de chegada, pelo rádio, Vettel rendeu sua vitória a Jules Bianchi. “Obrigado Jules. Essa vitória é para você. Todos nós sabíamos que um dia você ia formar parte dessa equipe”, disse o alemão. Todos os pilotos homenagearam Bianchi com mensagens estampadas nas carrocerias de seus carros. E fica a minha também: #BianchiAccélèreLeCiel!.Com o resultado da prova, Vettel foi este ano o único piloto a interromper a sequência de vitórias da Mercedes pela segunda vez nesta temporada. O alemão venceu o GP da Malásia, e agora soma 41 triunfos em seu currículo e se iguala com Senna

Vettel e Räikkönen atropelaram da dupla da Mercedes logo na largada - Sutton Images

Vettel e Räikkönen atropelaram da dupla da Mercedes logo na largada – Sutton Images

.

 

A corrida – A etapa teria 70 voltas não fosse um erro de posicionamento da Williams de Felipe Massa, que provocou a perda de uma volta. Então veio o que ninguém imaginava. As Ferraris de Vettel e Räikkönen dispararam na dianteira, deixando para trás as Mercedes de Hamilton e Rosberg no chinelo. Foi, pode-se dizer uma repetição do que acontecera no GP da Inglaterra, quando Massa e Bottas assumiram a ponta. A diferença é que a equipe de Massa não soube gerenciar a vantagem e Hamilton terminou vencedor.

 

Hamilton foi pressionado, mas manteve a liderança na tabela de pontos - Sutton Images

Hamilton foi pressionado, mas manteve a liderança na tabela de pontos – Sutton Images

Logo na primeira curva, Hamilton caiu para a décima posição após uma engordada de curva de seu companheiro de equipe, então o terceiro colocado. Porém, o inglês guiou muito e começou a escalar o pelotão, tendo Vettel na ponta imprimindo um ritmo forte. Rosberg saiu sem prejuízo do incidente com Hamilton e seguia atrás das Ferraris só não esperava a reação do inglês, que ao retornar à pista guiou com a faca entre os dentes e reduzindo tempos de voltas até que a asa dianteira da Force India de Nico Hülkenberg quebrar, provocando a entrada do carro de segurança até a retirada completa dos restos mortais do bólido indiano. Aliás, este foi o segundo acidente da Force India no final de semana. Na sexta-feira, seu companheiro de equipe, o mexicano Sergio Pérez, teve a suspensão quebrada, capotou e interrompeu o treino.

 

Nasr e Massa não foram bem  - Sutton Images

Os brasileiros, Felipe Nasr e Felipe Massa não foram bem – Sutton Images

Vettel conseguiu sustentar a liderança, enquanto Räikkönen sofria com queda de rendimento e acabaria por ceder a segunda posição para Rosberg. Atrás, mas com disposição de kartista, Hamilton tocou na Red Bull de Ricciardo e detonou parte do bico do Mercedes e teve de fazer uma visita extra na garagem para troca da parte avariada.

 

Sergio Pérez, da Force India, e Pastor Maldonado, da Lotus, pagaram mais penalidades que o usual - Sutton Images

Sergio Pérez, da Force India, e Pastor Maldonado, da Lotus, pagaram mais penalidades que o usual – Sutton Images

A prova, então, parecia definida com Vettel em primeiro seguido Rosberg e Ricciardo. O resultado favoreceria o alemão da Mercedes já que reduziria a desvantagem de pontos que tinha para o inglês. Parecia. O piloto da Red Bull partiu para cima do alemão, e na disputa por posição ambos se tocaram e quem se deu mal foi Rosberg, que teve um pneu traseiro furado e foi forçado a entrar nos boxes. Por usa vez, o australiano perdeu a segunda posição para Kvyat. Talvez seja por isso que o sempre sorridente Ricciardo subiu ao pódio com cara de pouco amigos.

 

A Fórmula 1 fará uma pausa de um mês e torna em 23 de agosto para a disputa do GP da Bélgica no circuito de Spa-Francorchamps.

 

Confira baixo, o resultado do GP da Hungria

Crédito: formula1.com

Crédito: formula1.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...