Erro da Mercedes e ajuda de Max Verstappen contribuíram para a vitória de Vettel - Sutton Images

Erro de estratégia da Mercedes e ajuda de Max Verstappen contribuíram para a vitória de Vettel – Foto: Sutton Images

 

A Fórmula 1 deu a largada para a temporada 2017. No GP da Austrália, disputado na madrugada de domingo (26) no Circuito de Albert Park, o vencedor foi Sebastian Vettel, que ganhou de presente a primeira posição com um erro na parada para troca de pneus do tricampeão mundial Lewis Hamilton, segundo colocado seguido de seu companheiro de equipe, o finlandês Vatteri Bottas. Com a vitória da Ferrari, que não vencia desde 2015, é possível que haja uma queda de braço entre a equipe de Maranello com a Mercedes. Por enquanto, não é errado dizer que na terra do canguru a estrela levou um coice do cavalo italiano.

 

Hamilton manteve primeira posição da largada até a parada para troca de pneus - Sutton Images

Hamilton manteve primeira posição da largada até a parada para troca de pneus – Foto: Sutton Images

 

Completaram na zona de pontuação Kimi Räikkönen, da Ferrari, Max Verstappen, da Red Bull, Felipe Massa, Sergio Pérez, da Force India, Carlos Sainz e Daniil Kvyat, ambos da Toro Rosso, e Estaban Ocon, da Force India, respectivamente, este último, por sinal, merece destaque ao deixar para trás o bicampeão mundial Fernando Alonso, que levou a McLaren nas costas, mas com um carro manco deverá fazer mais uma temporada fadada ao fracasso ou na melhor das hipóteses se destacar por seu talento pessoal.

 

Sexto colocado, o desaposentado Felipe Massa, fez uma corrida honesta e comemorou o resultado - Sutton Images

Sexto colocado, o desaposentado Felipe Massa, fez uma corrida honesta e comemorou o resultado – Foto: Sutton Images

 

Outro fato que me pareceu evidente, é que a diferença de anos-luz da equipe da estrela solitária para os demais times foi reduzida, mas pouco. Na dela, sem o típico alarde italiano, a Ferrari pode ser a pedra no sapato cromo alemão do pessoal da Mercedes, isto é, se não cometer erros durante paradas na garagem. O desempenho do SFH70 H parece bem nascido, a começar pelo desempenho dos treinos de pré-temporada, quando Kimi Räikkönen andou rápido sem que o carro apresentasse grandes problemas, e se tiver poderão ser corrigidos antes da segunda metade da temporada.

 

 

Prata da casa, Daniel Ricciardo, da Red Bull, teve problemas no caro e só conseguiu largar com uma volta de atraso para não decepcionar sua torcida. E só. Algumas voltas mais tarde parou, tomou banho e assistiu a corrida da mureta e viu seu companheiro de time, o holandês Max Verstappen concluir a etapa não sem segurar Hamilton e assegurar a vitória de Vettel.

 

Hamilton evitou críticar a equipe, mas sofreu com falta de aderência no fim da prova - Sutton Images

Hamilton evitou críticar a equipe, mas sofreu com falta de aderência no fim da prova – Foto: Sutton Images

 

Saindo de segundo, o ferrarista viu Lewis Hamilton manter a liderança, mas o seguiu de perto, até ele parar nos boxes para seu único pit stop da prova na volta de número 17 e ao deixar a garagem ficar atrás do holandês Max Verstappen da Red Bull. Esperava-se uma disputa pela ponta que não aconteceu. O inglês sequer conseguiu descontar a diferença de aproximadamente três segundos para Vettel, quando este entrou nos boxes seis voltas depois. A corrida foi sem graça, sem disputas por posições. Pelo contrário.

 

Em meio a troca de farpas entre McLaren e Honda, Fernando Alonso tira leite de pedra e anda bem - Foto Sutton Images

Em meio a troca de farpas entre McLaren e Honda, Fernando Alonso tira leite de pedra e anda bem – Foto: Sutton Images

 

Hamilton teve problemas com os pneus e tudo que conseguiu fazer foi se se defender do avanço de seu companheiro Valtteri Bottas, que terminou o GP em terceiro. Kimi Räikkönen, sensação nos treinos de pré-temporada, terminou o quarto e Max Verstappen ficou em quinto. O desaposentado Felipe Massa fez corrida honesta, dentro do limite da Williams, e fez apenas uma ultrapassagem na largada em cima de Romain Grosjean, da Haas, pulando de sétimo para sexto lugar, posição que manteve até o final da prova.

 

A volta a se reunir dia 9 de abril para a disputa da segunda etapa na China.