Quem tem mais de 50 anos e é apaixonado por automobilismo entenderá o tom de nostalgia misturado com esperança deste artigo e, principalmente, aquele que, como diz o ditado popular, o sangue não corre nas veias, tira racha. Quem sonhou em se aventurar no trépido e caríssimo mundo do esporte a motor, mas tinha como contencioso, um baixíssimo ou quase nulo orçamento teve na década de 1990 a oportunidade de cumprir o ritual de vestir um macacão, afivelar um capacete e acelerar entre pneus. Era o kart indoor que nasceu e prosperou durante anos até quase desaparecer.   Da numerosa família, formada por aproximadamente 130 indivíduos, as pistas, e um sem-número de agregados, os funcionários – a capital paulista chegou a ter mais pistas indoor do que a soma de todas pelo mundo afora – caiu em declínio vertical. Hoje restam tão poucas pistas indoor que dá para contar nos dedos de uma mão. Mas erra quem imaginou que quem tinha como destino o bairro do Jaguaré, zona Continue lendo [...]