Ao contrário das chatas sessões de classificação, a largada foi em Sakhir foi tão movimentada quanto a corrida - Sutton Images

Ao contrário das chatas sessões de classificação, a corrida em Sakhir foi muito empolgante – Sutton Images

 

Diferentemente do chato, quase insuportável treino de classificação, o GP do Bahrein, disputado no circuito de Sakhir, domingo, ofereceu aos torcedores uma prova com várias alternativas. O vencedor foi Nico Rosberg, da Mercedes, seguido de Kimi Räikkönen, da Ferrari, e Lewis Hamilton. Esse foi o segundo triunfo no ano de Rosberg, o quinto seguido, somando-se aos três do final da temporada passada, a 16ª na carreira, igualando-se ao inglês Stirling Moss. Felipe Massa terminou em sétimo.

 

Hamilton levou panca de Bottas e viu Rosberg disparar na tabela de pontos - Sutton Images

Hamilton levou panca de Bottas e viu Rosberg disparar na tabela de pontos – Sutton Images

 

Quem precisa afastar a urucubaca é tricampeão mundial Lewis Hamilton, que perdeu a posição de honra logo na largada para seu companheiro de equipe, além de ter sido acertado por Valtteri Bottas, da Williams, na primeira curva, rodou e caiu para a sétima posição. Foi um acidente de corrida, claro, mas obrigou o inglês a fazer uma corrida de recuperação e terminar a etapa barenita em terceiro, atrás de Kimi Räikkönen, da Ferrari. Mesma sorte não teve o companheiro do finlandês, o tetracampeão mundial Sebastian Vettel teve problemas na volta de apresentação e sequer largou.

 

Williams erra na estratégia de pneus e Massa terminou em oitavo - Sutton Images

Williams erra na estratégia de pneus e Massa terminou em oitavo – Sutton Images

 

Os pilotos brasileiros tiveram sensações não foram bem. Partindo do sétimo lugar do grid, Felipe Massa fez uma largada consistente, se valeu do enrosco dos protagonistas na primeira curva e completou o primeiro giro em segundo. Com vontade, mas distante de reviver seus momentos de glória, a Williams errou de novo ao adotar a estratégia de uma parada a menos que os rivais, apostando na resistência dos pneus médios, enquanto as demais optaram pelos compostos macios e super macios. Não deu surtiu efeito desejado, e nas voltas finais, Massa aparecia em quinto, mas foi sendo ultrapassado e terminou em oitavo, na frente de Valtteri Bottas, que teve a corrida prejudicada por ter sido punido pelo incidente com Hamilton na largada.

 

A Sauber confirmou estar no nível da Manor e Nasr e Ericsson só cumpriram tabela no Bahrain - Sutton Images

A Sauber confirmou estar no nível da Manor e Nasr e Ericsson só cumpriram tabela no Bahrain – Sutton Images

 

Já Felipe Nasr, da Sauber, largou em último, ganhou várias posições no início da prova. Na base do braço e do talento, o brasiliense chegou a entrar na zona de pontuação. Foi só uma ilusão passageira. Nasr acabou sendo tragado pela realidade do cronômetro, que registrava que os demais concorrentes eram muito mais rápidos, não conseguiu manter um ritmo forte com o limitado carro da Sauber e cruzou a linha de chegada em 14º. Esse foi, sem dúvida, um final de semana a ser esquecido.

 

A corrida ainda teve dois destaques. Após um ano sabático, o francês Romain Grosjean, agora na estreante equipe estadosunidense Haas, demonstrou amadurecimento de pilotagem ao executar várias ultrapassagens e terminar no sexto lugar. Com caixa recheado de dinheiro, a equipe novata, mantida a regularidade, pode incomodar as veteranas Ferrari, Williams, Red Bull e Toro Rosso.

 

O outro destaque foi Stoffel Vandoorne. Substituto de Fernando Alonso na McLaren, vetado pelos médicos da (Federação Internacional de Automobilismo (FIA) após o acidente cinematográfico em Melbourne que lhe rendeu fratura nas costelas, o belga chegou em décimo e pontuou em sua primeira corrida na categoria. Vandoorne fez uma corrida consistente, guardadas as limitações de seu equipamento. Já seu companheiro de equipe, o campeão mundial de 2009, Jenson Button, abandonou a prova.

 

A Corrida – Se na etapa de abertura, a unidade de força do Ferrari de Räikkönen pegou fogo, nesta foi a vez de Vettel. A corrida acabou para o alemão ainda na volta de alinhamento, quando o motor de sua Ferrari estourou e ele teve que abandonar. O ferrarista que esperava por mais uma largada sensacional do alemão ficou tão frustrado quanto o piloto. A largada foi caótica. Rosberg arrancou melhor que o inglês e assumiu a ponta, mesmo procedimento da dupla da Williams, que arrancou feito um foguete e deixou Ricciardo e Räikkönen para trás. Mas aí veio a primeira curva.

 

Ao dividir a primeira curva com Hamilton, Bottas misturou tinta com o carro do inglês, que rodou e ficou atravessado na pista, caindo para sétimo. Com uma ventania de sorte, Massa pulou de sétimo para segundo. Ao fim do primeiro giro a classificação apontava Rosberg na ponta seguido de Massa, Bottas, Räikkönen, Ricciardo, Grosjean e Hamilton. Mas a corrida recebeu mais tempero.

 

Lá atrás, os pilotos da Force India. Nico Hulkënberg e Sergio Pérez se envolveram em incidentes nas voltas iniciais e tiveram que parar nos boxes. Largando do fim do grid (21º), Felipe Nasr conseguia fugir das confusões e escalava o pelotão. Rapidamente, o brasileiro alcançou seu companheiro Ericsson, fez a ultrapassagem e após apenas cinco voltas, já se encontrava na 13ª posição. Parecia até que a nuvem escura que encobriu o céu da equipe suíça no sábado havia sumido.

 

Destaques da prova, o estreante belga Stofel Vandoorne terminou em décimo e Grosjean, da Haas, em 5º - Sutton Images

Destaques da prova, o estreante belga Stofel Vandoorne terminou em décimo e Grosjean, da Haas, em 5º – Sutton Images

 

Na frente, Hamilton deu início a sua prova de recuperação. A primeira vítima de sua flecha de prata foi Grosjean e subiu para sexto. Com o carro danificado pela batida na largada, Bottas não conseguia manter o ritmo e rapidamente perdeu posições para Räikkönen e Hamilton. Punido pelo toque no inglês, o finlandês da Williams teve de pagar um drive-through (passagem sem parar pelos boxes) e caiu para décimo. Então se abriu a primeira janela para troca de pneus.

 

Antes da 10ª volta, Ricciardo, Massa e Bottas foram os primeiros a irem para os boxes. Diferentemente dos demais, que trocaram os supermacios pelos macios, o brasileiro colocou um jogo de pneus médios e retornou em nono. Enquanto isso, Palmer, Button e Gutiérrez deixavam a prova com problemas mecânicos. Na 13ª volta, Räikkönen fez sua parada e voltou embutido na traseira do carro de Massa, que acabara de ser ultrapassado por Ricciardo. Rosberg (macios) e Hamilton (médios) foram aos boxes nas voltas seguintes.

 

Com pneus novos, Räikkönen tratou de abrir caminho, deixando para trás Massa, Ricciardo, e Kvyat e subiu para segundo. A classificação após a primeira rodada de pit stops era: Rosberg, Räikkönen, Ricciardo, Hamilton e Massa. Com pneus médios, contra supermacios de Grosjean, o brasileiro acabou sendo ultrapassado pelo francês e em seguida por Verstappen (macios). Com 18 voltas, Kvyat, enfim, fez sua primeira troca de pneus e retornou à pista na 13ª posição. Melhor para Felipe Nasr, que entrou pela primeira vez na zona de pontuação, em décimo. Mas a alegria durou pouco, e o brasileiro foi ultrapassado pelo companheiro de equipe.

 

Grosjean partiu para cima de Ricciardo e tomou a quarta posição do australiano, que após a ultrapassagem tinha como alvos Rosberg, Räikkönen e Hamilton distanciados na dianteira. Na segunda rodada de pit stops, Rosberg, Räikkönen e Hamilton, os três primeiros colocados, optaram por pneus supermacios. Grosjean, em sexto, também. Em quarto, Ricciardo preferiu os macios. A Williams colocou Massa de volta a pista, em décimo, com compostos médios. Errou. O sonho de somar pontos e de se posicionar como terceira força na Fórmula 1 foram sumindo. Depois de todos pararem nos boxes, a classificação era: Rosberg líder, a 9s de Räikkönen. Hamilton aparecia em terceiro, seguido de Ricciardo, Grosjean, Verstappen e Massa. Nasr era o 15º.

 

Na parte final da corrida, Rosberg, Räikkönen e Hamilton fizeram suas últimos trocas de pneus, colocando todos eles, pneus macios. O alemão voltou 5s à frente de Räikkönen, que tinha 16s de diferença para Hamilton. Com uma estratégia de uma parada a menos, Massa aparecia em sexto, mas com claros sinais de que não aguentaria e não daria pressão em cima de Verstappen e Ricciardo, também calçados com pneus médios. Não deu outra. Com pneus macios, Grosjean encostou e passou Massa e subiu para quinto. Nas voltas finais, Rosberg abria vantagem sobre Räikkönen, para uma vitória tranquila, enquanto o finlandês administrava a diferença sobre Hamilton para assegurar o segundo lugar. Massa não resistiu à pressão de Kvyat e caiu para oitavo.

 

A Fórmula 1 volta a se reunir dia 17 para a disputa do GP da China.

 

Confira abaixo o resultado final do GP do Bahrain.

 (Crédito: formula1.com)

(Crédito: formula1.com)