Divulgação

 

As cervejas artesanais têm ganhado cada vez mais espaço no cenário mundial. O Brasil é o terceiro maior mercado de cerveja do mundo, ficando atrás apenas de Estados Unidos e China. Com consumo médio de aproximadamente sessenta e oito litros por pessoa ao longo do ano, ocupamos a décima sétima posição do consumo dessa bebida, com República Tcheca, Áustria e Alemanha liderando esse ranking.

 

Visando trazer uma cerveja diferenciada para o seu restaurante e atrair uma clientela amante de cervejas artesanais, o Portucho criou a Portucho Soft IPA. Rodrigo Orsetti, sócio do Portucho, conta que era a hora de investir no ramo. “Eu, particularmente, gosto muito desse tipo de cerveja. Achávamos que estava na hora de investir em um rótulo próprio”. A IPA, idealizada pelo restaurante, tem um teor alcoólico de 5,5% e é conservada entre dois e sete graus Célsius.

 

O maior diferencial a Portucho Soft IPA são os seus lúpulos. Crystal, que é picante e vegetal, e Chinook, que tem como principal característica um toque picante, lúpulos norte-americanos muito utilizados nesse tipo da bebida, trazem uma experiência cítrica para quem a está degustando. Já a planta neozelandesa Motueka traz um aroma frutado de limão e lima, trazendo mais suavidade e equilíbrio para a cerveja. Segundo Rodrigo, “A intenção era fazer uma cerveja mais elegante”. “Por enquanto não temos planos de lançar novas cervejas, estamos focados em divulgar bem a Portucho Soft IPA. Mas, após essa fase, tudo pode acontecer”, completa Orsetti.