Rosberg comemora  vitória da prova e sobre Hamilton (Sutton Images)

Rosberg comemora vitória da prova e sobre Hamilton (Sutton Images)

O alemão Nico Rosberg conquistou de ponta a ponta o GP de Mônaco, domingo (25), recuperou a liderança na tabela de pontos no Mundial de F1 e tem agora 122 pontos contra 118 acumulados por seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton, que terminou em segundo mesmo com um cisco no olho. Com o resultado, a Mercedes completa seis provas com cinco 1-2 e segue absoluta no campeonato de Marcas. Destaque para Daniel Ricciardo, que nas últimas voltou botou pressão em cima do inglês, mas, sem êxito, terminou a etapa monegasca em terceiro. Felipe Massa fez uma boa prova ao sair da 16ª para a sétima posição.

 

A esperada Guerra Fria, veladamente deflagrada entre os pilotos da flecha prateada, por causa de um erro de Rosberg no minuto final da classificação, no sábado, retirando qualquer oportunidade de Hamilton lutar pela pole não aconteceu. A largada, como era de se esperar, foi tumultuada, com Rosberg não tomou conhecimento e puxou o pelotão seguido de Hamilton. Só que Sergio Pérez se enroscou com seu ex-parceiro de McLaren, Jenson Button, levou a pior e fincou sua Force India no muro, provocando a entrada do carro de segurança por três voltas.

 

Pérez se enrosca com Button, bate, e  provoca a entrada do carro de segurança (Sutton Images)

Pérez se enrosca com Button, bate, e provoca a entrada do carro de segurança (Sutton Images)

Ainda na largada, Vettel passou Ricciardo e subiu para terceiro. Räikkönen também largou bem e se colocou à frente Alonso. No meio do pelotão, Massa ganhou três posições e subiu para 13º. Na relargada, Rosberg manteve a ponta seguido de Hamilton. Tristeza para o atual tetracampeão mundial Vettel, que, mais uma vez, enfrentou problemas de potência do motor e viu a caravana passar, mas conseguiu chegar aos boxes, para voltar em último. Poucas voltas depois, mais problemas. O câmbio ficou travado na primeira marcha e mesmo recuperando a potência, o alemão foi orientado pela equipe rubrotaurina para recolher o carro. Com isso, Räikkönen passou para terceiro, seguido por Ricciardo, Alonso, Magnussen. Massa já era o 12º, logo atrás de Bottas.

 

Com 15 das 78 voltas completadas, Rosberg seguia firme na liderança, com pouco menos de 2s de vantagem para Hamilton, sendo que a dupla da Mercedes, disparada, empunha 6s de diferença para Räikkönen, então, o terceiro colocado. A lista de abandonos contou com a presença do rápido e consistente russo Daniil Kvyat, da STR. Com isso, Massa subiu para 11º. A sorte do brasileiro não parou por aí. Na volta 25, Adrian Sutil, da Sauber, perdeu o controle de sua Sauber na saída do túnel e bateu sozinho. Foi uma pancada daquelas, de deixar a porção dianteira do carro em frangalhos e cacos espalhados pela pista. A batida provocou a segunda entrada do carro de segurança.

 

Sem briga, Rosberg dispara na largada (Sutton Images)

Sem briga, Rosberg dispara na largada (Sutton Images)

Com a bandeira amarela, a maioria dos pilotos aproveitou para fazer a primeira troca de pneus, menos Massa, que diante da péssima posição de largada preferiu arriscar e optou por continuar na pista. A estratégia deu certo e o brasileiro subiu para a sexta colocação, atrás de Rosberg, Hamilton, Räikkönen, Ricciardo e Alonso. Entretanto, Räikkönen Max Chilton, da Marussia, teve um pneu furado, precisou voltar aos boxes, comprometendo sua corrida. Massa, então, subiu para quinto.

 

Antes da largada, Jack Brabham foi homenageado por pilotos em Mônaco (Sutton Images)

Antes da largada, Jack Brabham foi homenageado por pilotos em Mônaco (Sutton Images)

Após 45 voltas completadas, Hamilton seguia colado em Rosberg, Ricciardo em terceiro, seguido de Alonso e Massa, que começa a sentir no equilíbrio do carro o desgaste acentuado dos pneus supermacios com os quais largou. No entanto, se as entradas do carro de segurança e abandonos concorreram a favor do brasileiro, ele precisaria abrir vantagem na pista para retornar à frente de Bottas. Não conseguiu. Massa entrou nos boxes na volta 46 e retornou à pista na 11ª posição, três atrás de Bottas, naquele momento, na oitava posição.

 

Bianchi, brilhante, leva Marussia aos pontos (Sutton Images)

Bianchi, brilhante, leva Marussia aos pontos (Sutton Images)

Na dianteira, a dupla da Mercedes seguia sem incômodos e a atrás Bottas puxava o corso, formado por Gutiérrez, Räikkönen e Massa até o motor da Williams abrir o bico e parar companheiro do piloto brasileiro ficou parado na curva do Grand Hotel e ceder a posição para Esteban Gutiérrez, seguido de Räikkönen e Massa. Os fiscais de pista foram ligeiros, retiraram a Williams e evitaram mais uma entrada do carro de segurança. Aí veio a lambança.

 

A 16 voltas do fim da corrida, Gutiérrez errou, deu com a roda traseira direita na grade de proteção da Rascasse, furou o pneu e ficou virado na pista. Räikkönen e Massa, que vinham logo atrás, conseguiram desviaram da Sauber para ganhar mais uma posição. De novo, a intervenção dos comissários foi rápida e não houve interrupção da prova. Festa para Jules Bianchi, da Marussia, que pela primeira vez entraria na zona de pontuação, mas, para assegurar o resultado, o francês teria de abrir 5s de vantagem para o 11º colocado para pagar o tempo de punição. Comemoração geral, Bianchi conseguiu levar o carro até o final, terminar em 8º e, assim, a Marussia deixa de ser nanica para ser a melhor entre as piores.

 

Massa fez boa corrida e, na estratégia, termina em 7º (Sutton Images)

Massa fez uma boa corrida e, na estratégia, termina em 7º (Sutton Images)

Na disputa interna da Mercedes, Hamilton tinha mais preocupação com Rosberg não abrir vantagem e tentar o bote sobre o alemão nas voltas finais do que com Ricciardo, que vinha esquentando o bico da RBR na traseira do carro do inglês. Mas o improvável estava de plantão e melou o plano do campeão mundial de 2008, que avisou a equipe que uma sujeira entrara em seu olho esquerdo e, por isso, começou a andar mais devagar. Comunicado, Rosberg abriu cinco segundos de vantagem, enquanto o Ricciardo partiu para cima e colar no inglês.

 

Com dificuldades para enxergar, Hamilton foi alcançado por Ricciardo nas voltas finais, enquanto Rosberg recebia a bandeira quadriculada com quase dez segundos de vantagem sobre o britânico, que resistiu e completou a quinta dobradinha da Mercedes em seis etapas. Bravamente, Alonso completou em quarto, mas com uma volta a menos, seguido de Nico Hülkenberg, Button e Massa. Bianchi cruzou em oitavo, apesar de perder a posição para Grosjean por causa da punição. Magnussen completou o top 10.

 

A F1 dá uma pausa e volta a se reunir dia 8 de junho, no Canadá.

 

F1, GP de Mônaco, resultado final:

(Crédito: formula1.com)

(Crédito: formula1.com)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

F1, tabela de pontos, pilotos:

(Crédito formula1 com)

(Crédito: formula1 com)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...