Rosberg venceu com folga na Austrália - Sutton Images

Rosberg venceu com folga na Austrália – Sutton Images

Depois de 30 anos da vitória do pai Keke Rosberg, em 1985, seu filho Nico Rosberg venceu de ponta a ponta o GP da Austrália, domingo (16), a primeira etapa da temporada 2014 da F1. O alemão da Mercedes começou a triunfar no circuito de Albert Park desde a largada ao partir da terceira posição no grid para a liderança, deixando para trás seu companheiro de equipe, o inglês Lewis Hamilton e Daniel Ricciardo, da Red Bull, que terminou em uma surpreendente segunda posição seguido do estreante dinamarquês Kevin Magnussen, da McLaren. Hamilton, pole-position e favorito à vitória, não teve muita sorte e abandonou nas voltas iniciais com problemas no motor.

 

Faltou sorte, também, para o brasileiro Felipe Massa, que, foi literalmente abalroado pelo japonês Kamui Kobayashi na freada a primeira curva, determinando, assim, fim de prova para ambos. Destaque para Valtteri Bottas, companheiro de Massa na Williams, que, sem piada, desceu a bota durante toda a prova, sinal que os tempos obtidos na pré-temporada eram mais que suposições otimistas, uma realidade. Já Daniel Ricciardo fez uma corrida consistente, assim como Kevin Magnussen, que lutou pela segunda posição até a última volta, mas sem sucesso. O pódio mostrou, fora Rosberg, duas grandes promessas. Aliás, Magnussen, em sua estreia na F1, foi melhor que seu pai, Jan, que conquistou apenas um sexto lugar. Além disso, a conquista do dinamarquês encerrou o período de vacas magras da McLaren, que não subia ao pódio desde o GP do Brasil de 2012, vencido por Jenson Button, que na prova de domingo terminou em quarto seguido pelo ferrarista Fernando Alonso.

 

Valtteri Bottas foi sexto, mas deu arrepiou com várias ultrapassagens, mesmo após cometer um erro na décima volta ao estampar o pneu traseiro direito no muro quando brigava ferrenhamente pela quinta posição com Alonso. O finlandês guiou muito. Se não tivesse errado poderia até conquistar um lugar no pódio já que a Williams andou sempre no mesmo ritmo do vencedor. Terminaram na zona de pontuação Nico Hülkenberg, Kimi Räikkönen, Jean-Éric Vergne e Daniil Kvyat, o novato russo, que tem tudo para fazer uma temporada consistente a bordo da Toro Rosso.

 

No retorno à F1, Kamui Kobayashi, erra feio e tirou Massa da prova - Reprodução de TV

No retorno à F1, Kamui Kobayashi, erra feio e tirou Massa da prova – Reprodução de TV

Explica, mas não justifica – Depois de um ano sabático, Kamui Kobayashi voltou à F1 pela Caterham e, como sempre, andou mais rápido que o carro para ratificar sua fama de melhor representante do Japão na categoria. De cara, conseguiu levar o carro de dois bicos da equipe ao Q2, algo que no ano passado não passava nem perto. Mas o mesmo surpreendente Kobayashi protagonizou um esparramo logo na primeira curva do Albert Park ao frear na placa de 50 metros. Quem levou a pior foi Felipe Massa, que faria sua primeira corrida pela Williams quando tinha chances reais de brigar lá na frente.

 

Felipe Massa teve a corrida encerrada na primeira curva - Sutton Images

Felipe Massa teve a corrida encerrada na primeira curva – Sutton Images

Em entrevista ao repórter da TV Globo, Massa desceu a lenha em Koba. “A minha visão é que se eu tentar frear na placa de 50, não vou conseguir parar de jeito nenhum. Primeira corrida do ano…”, respondeu o brasileiro com cara de poucos amigos. “Acho que, sem dúvida, temos que ir atrás da FIA para punir os pilotos que fazem algo assim. Tem que ser uma investigação pesada, porque o que ele fez é até perigoso. Tomei uma porrada na traseira que foi até perigosa. É uma pena, porque o carro estava em uma ótima condição para fazer uma ótima corrida e tudo acabou na primeira curva”, sentenciou. “Vamos pensar na próxima. É difícil achar a palavra. Não tem o que falar. O que aconteceu hoje é uma pena”, concluiu.

 

O nipônico boa gente assumiu o erro, pediu desculpas a Felipe Massa, de quem é amigo, perante a imprensa ainda no autódromo e pelas redes sociais, mas a meleca já estava feita. O brasileiro, por sua vez, declarou que quer que Koba seja punido pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) com suspensão de uma prova. Veremos. “Sinto muito. Foi minha culpa, peço desculpas ao Massa e à Caterham. Não consegui aquecer os pneus satisfatoriamente antes do início”, afirmou Kobayashi.

 

A Fórmula 1 se reúne novamente em duas semanas, quando será disputado o GP da Malásia.

 

F1, GP da Austrália, resultado final:

Fonte: FIA/FOM

(Crédito: formula1.com)