Patrocinadores de Luiz Razia não pagaram time, piloto foi descartado - Foto: Reprodução do site do piloto

Patrocinadores de Luiz Razia não pagaram time, piloto foi descartado – Foto: Reprodução do site do piloto

Luiz Razia dançou! A Marussia se cansou de esperar pela definição dos patrocinadores do baiano para garantir a vaga de titular e sexta-feira (1), em Barcelona, a cúpula da escuderia anglo-russa se reuniu com Nicolas Todt, empresário de Jules Bianchi, e selou sua contratação em substituição ao brasileiro, que participou de apenas dois treinos na pré-temporada, na semana passada. O destino de Jules na F1 muda novamente apenas dois dias depois de a Force India optar por Adrian Sutil para ocupar o posto de titular em 2013. Desta forma, a França alinha no grid da temporada com quatro pilotos. Além de Bianchi, alinharão em Melbourne, na Austrália, Jean-Éric Vergne, Romain Grosjean e Charles Pic, enquanto o Brasil só terá Felipe Massa, piloto que estará pelo oitavo ano consecutivo na Ferrari.   Razia, agora, pode-se dizer que está sem rumo e seu destino no automobilismo internacional é uma incógnita. Depois de participar quatro anos na GP2, chegando ao vice-campeonato na temporada passada, o baiano chegou a comemorar sua entrada na F1, embora cercada de indefinição. Cerca de uma semana antes, a contratação de Razia pela Marussia vazou por meio de sua assessoria, mas a escuderia de Banbury não confirmou e nem desmentiu a informação. Apenas no dia 6, um dia depois da apresentação do MR02, é que Luiz foi oficializado sem, entretanto, treinar como os demais competidores. Razia participou de apenas duas sessões de treinos na pré-temporada, todas em Jerez, e foi o piloto com menor quilometragem dentre os que foram à pista.

 

Na semana passada, sua situação se agravou. A Marussia, que tinha em seu cronograma a presença de Razia para a sequência dos treinos coletivos, seguiu apenas com Max Chilton, primeiro alegando que o britânico precisava adquirir quilometragem. Cascata! O piloto não esquentou o banco pelo fato de alguns patrocinadores não honrarem o compromisso com o time russo. Ou seja, o sonho do piloto virou pesadelo. A Marussia, tinha pressa em definir sua situação, uma vez que faltam apenas 15 dias para a abertura do Mundial de F1 e assim fechou a vaga com Bianchi, preparado na Academia de Pilotos da Ferrari. Há uma jogada por trás de tudo isso. A Marussia pode, eventualmente, negociar com Maranello para fornecimento de motores para 2014.

 

 

Jules Bianchi passou pela Academia de Pilotos da Ferrari. Isso contou na contratação - Foto: Reprodução

Jules Bianchi passou pela Academia de Pilotos da Ferrari. Isso contou na contratação – Foto: Reprodução

Bianchi estreia na F1 depois de trabalhar um ano como reserva na Force India. “Estou muito feliz por ter conseguido uma vaga com a Marussia. Competir na F1 nesta temporada tem sido meu objetivo durante o inverno e, depois de avaliar uma série de opções, estou muito animado com esta chance de demonstrar que estou pronto para dar o próximo passo em minha carreira. Também agradeço muito à Academia de Pilotos da Ferrari, que sempre me apoiou e me deu a possibilidade de amadurecer, o que me permitiu estar totalmente preparado para este emocionante desafio”, vibrou Bianchi em comunicado divulgado pela equipe.

 

“As próximas duas semanas de preparação para a temporada serão extremamente corridas, mas estou pronto para começar amanhã com meu primeiro dia no MR02”, acrescentou o francês, confirmando que já testa neste sábado em Barcelona com o carro com o qual fará seu debute como titular na F1. John Booth deu as boas vindas a Bianchi, mas falou também sobre a rescisão de contrato com o piloto brasileiro. “Nos encontramos em uma situação em que tivemos de rescindir contrato com Luiz Razia. Não tivemos alternativa a não ser nos manter fiel aos princípios que tínhamos identificado como essenciais para garantir nosso futuro a longo prazo”, comentou o dirigente, deixando claro que precisava do dinheiro trazido pelo brasileiro e que Bianchi também leva patrocínio para sentar no carro tricolor neste ano. Razia é bom piloto, é novo e pode esperar para debutar na principal categoria do automobilismo mundial por uma equipe melhor estruturada já que estará pagando pela vaga. Afinal, quem paga tem direito de escolher o bólido e a Marussia não é time dos sonhos. Vide a história de Bruno Senna na vexaminosa HRT.

 

 

Razia foi piloto oficial por 25 dias - Foto: Marussia

Razia foi piloto oficial por 25 dias – Foto: Marussia

Numa análise fria, estrear por uma equipe com a qual frequentaria o fim do grid e pouquíssimas chances de fazer uma boa apresentação (Sim, caro leitor, na F1 não existe milagres) ou fazer um ano sabático, o melhor é ficar de fora, talvez correndo em outras categorias, até mesmo na GP2, a se arrastar na pista e queimar sua imagem. Há males que vêm para bem, diz o ditado, e, quem sabe, Razia pode tentar a F1 novamente em 2014 quando o regulamento técnico será totalmente diferente. Talvez a categoria não seja mais composta por locadoras de automóveis de luxo e sim times competidores. Na essência. É apenas uma suposição otimista, óbvio!