Sportage 2019 chega com leve inovação estética – Divulgação

 

A Kia Motors do Brasil iniciou, esta semana, a comercialização da quarta geração do Sportage, com importante facelift, cuja atualização visual foi liderada pelo estúdio de design europeu da montadora sul-coreana em Frankfurt, na Alemanha, com contribuições dos centros de design de Namyang, na Coreia, e de Irvine, na Califórnia. As mudanças no design exterior do Sportage incluem novos para-choques dianteiros e traseiros, bem como faróis dianteiros e lanternas traseiras redesenhadas, além de novas rodas de liga leve.

 

Na frente, as principais atualizações estão nos faróis de neblina cubo de gelo em LED, que agora vêm em formato retangular e divididos por uma haste horizontal, que segue até a entrada de ar. Já a grade nariz de tigre, símbolo da Kia, ganhou acabamento preto brilhante.

 

No interior, o layout da cabine foi mantido, mas uma série de atualizações proporciona sensação de modernidade aos passageiros. O modelo vem equipado com novo volante e painel de instrumentos revisado, além de novos designs de estofamento. O visual dos controles de ventilação e do ar condicionado também foi revisado. Com o novo design do sistema multimídia, integrado ao centro do painel, o ambiente ficou ainda mais clean e tecnológico.

 

Versões – No Brasil, o Sportage está disponível em quatro versões (P.152, P.253, P.264 e P.265). Todas contam com o mesmo conjunto mecânico: motor 2.0 litros, flex de quatro cilindros, com duplo comando de válvulas variável no cabeçote (DOHC com Dual CVVT). Alimentado com etanol, entrega 167 cv a 6.200 rpm e torque de 20,6 Kgm a 4.700 rpm. Com gasolina, chega a 156 cv a 6.200 rpm e torque de 19,2 Kgm a 4.700 rpm.

 

A transmissão é automática de seis velocidades, com opção de trocas sequenciais. O câmbio também conta com seletor de modo de condução que permite ajustar as mudanças de marcha de acordo com o estilo de cada motorista ou das condições de condução. As opções são elas: normal, econômica (com trocas em baixas rotações, privilegiando o baixo consumo de combustível) e esportiva (que explora as acelerações para proporcionar o melhor desempenho).