Hamilton venceu GP da China, o 1000º da categoria – Crédito: formula1.com

A milésima corrida do Campeonato Mundial de Fórmula 1 coroou a eficiente Mercedes e cravou mais um vexame da Ferrari ao dar ordem dos boxes. Mais uma. O inglês Lewis Hamilton foi o grande vencedor do Grande Prêmio da China, disputado na madrugada de sábado para domingo. Valtteri Bottas, companheiro de Hamilton terminou em segundo à frente de Sebastian Vettel, da Ferrari, completando o pódio chinês. Destaque para Max Verstappen, que em dia de muita inspiração fez uma prova irretocável, seguido de Charles Leclerc o quinto colocado.

Agora Hamilton é o líder do mundial pela primeira vez em 2019, após fazer uma corrida sem oponentes. Essa foi a 75ª vitória de sua carreira e, ao que tudo indica, não vai sossegar antes de pulverizar o recorde do alemão Michael Schumacher de 91 altos de pódios e sete títulos de campeão mundial de Fórmula 1.

A corrida – Logo na largada, Hamilton passou Bottas por fora, e assumiu a liderança na primeira curva. O ferrarista Leclerc também ultrapassou seu companheiro de equipe Vettel na Curva 1, mas não conseguiu acompanhar as Mercedes, que dispararam na ponta, enquanto os concorrentes do bloco intermediário deram seu show.

Daniil Kvyat aprontou no retorno à F1 e prejudicou Norris e Sainz – Crédito Formula1.com

O russo Daniil Kvyat acertou o McLaren de Lando Norris, que acabou colidindo com o de seu companheiro de time, o espanhol Carlos Sainz na Curva 6 da primeira volta. Após análise dos fiscais de prova, Kvyat foi penalizado com um drive-through (passagem pelos boxes em baixa velocidade). A McLaren não conseguiu pontuar.

Ordem dos boxes – Na 11ª volta, a Ferrari pediu, via rádio, para o jovem e rápido piloto monegasco Charles Leclerc deixar o alemão Sebastian Vettel passar, na tentativa do alemão perseguir Bottas. O alemão, tetracampeão mundial, se achava mais rápido que seu companheiro de equipe. Não era. A ordem não surtiu o efeito desejado e marcou a prática antidesportiva, praxe no time de Maranello. Vettel não conseguiu avançar na busca por Bottas e teve Leclerc embutido na traseira de seu carro, e para piorar, o rapidíssimo holandês Max Verstappen, da Red Bull, também se aproximava do time vermelho.

Via rádio, a Ferrari manda Lecrerc ceder posição para Vettel – Crédito: formula1.com

Com uma estratégia de troca de pneus ousada, a Mercedes chamou seus dois pilotos, e com precisão cirúrgica os devolveu à pista nas primeira e segunda posições, respectivamente. Verstappen entrou em seguida, fez sua parada e voltou com os pneus médios. Vettel entrou volta seguinte e saiu na frente de Verstappen, que, empolgado, tentou ultrapassar Vettel na Curva 14, mas não conseguiu a manobra, depois que o alemão ocupou seu espaço e quase mandou Verstappen comprar um lote de grama no circuito chinês. A tentativa da Ferrari de ajudar Vettel, na prática, atrapalhou a corrida de Leclerc ao deixa-lo na pista com os pneus médios e, quando fez sua parada, saiu atrás de Verstappen na quinta posição onde permaneceria pelo restante da corrida.

Boa safra – O francês, estreante no time principal da Red Bull Pierre Gasly terminou na sexta posição no GP da China e conquistou o ponto extra pela volta rápida, depois que trocou para pneus macios novos para até o final da prova. Gasly estreou na categoria pela Toro Rosso, satélite da Red Bull, em 2017.

Acidente de Albon, no sábado, que fez boa prova no domingo – Crédito: formula1.com

Daniel Ricciardo, finalmente, pontuou com a Renault, ao chegar à sétima posição, seguido de Sergio Perez (Racing Point) e Kimi Räikkönen (Alfa-Romeo), que foram oitavo e nono, respectivamente. O décimo colocado foi o piloto tailandês Alexander Albon, da Toro Rosso, que optou por fazer apenas uma parada para troca de pneus já que largou dos boxes. No sábado, ele deu uma batida assustadora com força G estimada em 49. Pelo desempenho na prova ele levou o prêmio de Piloto do Dia. Merecido!

A Fórmula 1 se reúne dia 28 de abril no Grande Prêmio do Azerbaijão.

Confira abaixo o resultado do GP da China:

Crédito: Fomula1.com

Confira como está o Mundial de Pilotos:

Crédito: formula1.com

Confira como está o Mundial de Construtores:


Crédito: formula1.com