Indignado, Vettel não leva carro ao parque fechado e troca placa – Crédito: formula1.com

O inglês Lewis Hamilton venceu o Grande Prêmio do Canadá, disputado domingo (9) no Circuito Gilles Villeneuve, no regulamento não na pista. Isto porque Sebastian Vettel foi penalizado com cinco segundos em seu tempo final após escapar da pista na curva 3 na volta 48 e voltar à frente do piloto da Mercedes. Em decisão, no mínimo contraditória, os comissários julgaram Vettel culpado pelo incidente. O alemão da Ferrari venceu, mas não ganhou e teve de se contentar com segundo lugar com a punição. Charles Leclerc completou o pódio.

Causa da penalização – Crédito: formula1.com

Indignado, com razão, Vettel não levou seu carro até o local destinado aos três primeiros colocados e trocou as placas indicativas de posição de chegada, causando constrangimento ao herdeiro da vitória Hamilton. Para os comissários, Vettel “retornou à pista de forma insegura, forçando Hamilton a tomar medidas evasivas para evitar colisão” (entenda tirar o pé do acelerador). A meu ver, o alemão não jogou sujo, apenas errou a tomada da curva. Ele não ganhou posição, era o líder e lutava para manter a ponta.

No site oficial da Fórmula 1, o comunicado deixa claro: “Os competidores são lembrados de que têm o direito de apelar de certas decisões dos Comissários, de acordo com o Artigo 15 do Código Esportivo Internacional da FIA e o Artigo 9.1.1 do Regulamento Judicial e Disciplinar da FIA, dentro dos limites de tempo aplicáveis”. Vettel pode recorrer da decisão dos comissários e recuperar a vitória, mas ficará a mácula que começou ainda na pista, quando o piloto ser informado pelo rádio sobre a penalidade. O alemão ficou transtornado e se defendeu. “Para onde eu poderia ir? Estão (os comissários) nos roubando a vitória”, reclamou.

Vettel espreme Hamilton, que desacelerou para não bater – Crédito: formula1.com

Situação de corrida, Hamilton foi categórico e solidário ao colega ao término da etapa. “Naturalmente, não era assim que eu queria vencer (a quinta nesta temporada). Eu o estava pressionando para tentar passar. Forcei-o a cometer um erro, ele foi longe, eu tive fui espremido e quase colidimos. É lamentável, mas isso é automobilismo”, disse o inglês, constrangido.

Hamilton abraça Vettel, um gesto de profissionalismo – Crédito: formula1.com

Com a vitória, Hamilton alcança mais um recorde na Fórmula 1. O inglês empatou com Michael Schumacher em sete vitórias no Canadá e abriu 29 pontos de vantagem sobre Valtteri Bottas. Vettel é o terceiro, 62 pontos atrás. Verstappen (88) e Leclerc (72) completam os cinco primeiros. Vale lembrar que mesmo com a vitória, a tabela de pontos do Campeonato de Pilotos não mudaria o cenário. Passaria ao torcedor e telespectador a mensagem que a categoria é séria não um campeonato decidido nos bastidores. Pegou mal.

Valtteri Bottas foi o quarto colocado à frente de Max Verstappen. O finlandês da Mercedes faturou o ponto extra pela volta mais rápida, quando colocou os pneus macios nas voltas finais para marcar 1:13.078s, superando o de brasileiro Rubens Barrichello (1:13.622s), estabelecido em 2004 quando corria pela Ferrari. Daniel Ricciardo, da Renault, fez uma boa corrida e terminou na sexta posição seguido por seu companheiro de equipe Nico Hülkenberg, Pierre Gasly (Red Bull, Lance Stroll (Racing Point) e Daniil Kvyat.

A Fórmula 1 se reúne novamente dia 23 para a disputa do Grande Prêmio da França.

Confira o resultado final do Grande Prêmio do Canadá:

Crédito: formula1.com

Confira abaixo como está o Campeonato de Pilotos:

Crédito: formula1.com

Confira abaixo como está o Campeonato de Construtores:

Crédito: formula1.com