Da esquerda para a direita, Rosberg, Hamilton e Vettel - Sutton Images

Da esquerda para a direita, Rosberg, Hamilton e Vettel  (Sutton Images)

Lewis Hamilton, da Mercedes, conquistou sábado (29) a pole position para o Grande Prêmio da Malásia de Fórmula 1, no Circuito de Sepang. A sessão marcada pela tempestade que desabou sobre o circuito malaio. Essa foi a segunda pole do britânico nesta temporada – a primeira foi na Austrália – ao registrar o tempo de 1min59s431 no Q3, ante 1min59s486 do atual tetracampeão Sebastian Vettel, da Red Bull. Nico Rosberg e Fernando Alonso foram a segunda fila.

 

Quem não foi nada bem foi a Williams. A equipe de Felipe Massa e Valtteri Bottas errou na estratégia de pneus ao mandar para a pista seus pilotos com pneus intermediários ideais para pista molhada e não para chuva intensa. Com isso, Felipe Massa foi apenas o 13º, enquanto o finlandês Valteri Bottas terminou o dia na 15ª posição, à frente de Romain Grosjean, da Lotus.

 

Mais uma Caterham destruída, desta vez Marcus Ericsson deu uma panca de respeito no Q1 (Sutton Images)

Caterham destruída. Marcus Ericsson bateu no Q1 (Sutton Images)

Como foi – Os treinos começaram com 50 minutos de atraso em decorrência da tempestade, que teimava em não cessar. Com pista liberada e chuva persistente, Nico Rosberg marcou 1min57s183 e assumiu o topo da tabela de tempos seguido de Lewis Hamilton e Sebastian Vettel. No final do Q1, Felipe Massa era o 11º colocado, uma mostra antecipada que a vida do brasileiro não seria nada fácil, e igualaria a Williams aos carros de equipes, neste momento, consideradas sem fôlego. Assim, ficaram de fora da etapa seguinte, Pastor Maldonado, Adrian, Jules Bianchi, Kamui Kobayashi, Max Chilton e Marcus Ericsson.

 

A batida entre Kyvat e Alonso (Sutton Images)

A batida entre Kyvat e Alonso (Sutton Images)

Como na chuva a componente sorte tem de estar a favor, o Q2 começou com a batida entre Fernando Alonso e o russo novato Daniil Kvyat, da Toro Rosso, quase eliminou as chances de um desempenho melhor do espanhol. Por pouco. Isso porque Alonso conseguiu retornar a garagem da Ferrari, consertar a suspensão danificada e voltar à pista graças a uma bandeira vermelha, que interrompeu temporariamente a cronometragem. Kvyat também conseguiu retornar. E dá-lhe chuva.

 

A desinformação entre a Williams e seus dois pilotos foi decisiva para o baixo rendimento dos carros de Felipe Massa e Valtteri Bottas. Ambos tinham chances de brigarem por vagas entre os dez primeiros, mas não conseguiram, porque a equipe errou na escolha de pneus. Evidentemente que quem está atrás do volante corrobora na decisão. Massa fez duas trocas de pneus durante o Q2, perdeu tempo e em sua melhor passagem cravou 2min02s460, ficando com o 13º lugar. Seu companheiro, Valteri Bottas, ficou com o 15º posto. Ou seja, fora do Q3, e vão largar no meio do pelotão. Nessa etapa também foram eliminados Daniil Kvyat, Esteban Gutierrez (Sauber), Sergio Perez (Force India) e Romain Grosjean (Lotus), respectivamente. Hamilton, de novo, comandou a tabela ao parar o cronômetro com 1min59s241, à frente de Rosberg.

 

No Q3, Hamilton marcou 1min59s431, contra 1min59s486 de Vettel, que até poderia pressionar o inglês nos minutos finais, mas, por precaução, preferiu levar Suzy (nome de batismo da RB10) inteira para casa e dividir a primeira fila com a Mercedes. A disputa pela melhor posição na segunda fila ficou entre Alonso e Rosberg. Que se deu melhor foi o alemão, que superou Alonso na última tentativa e larga domingo na terceira posição. A disputa na primeira curva promete. Felipe Massa, por sua vez, terá de contar com sorte e muito braço para galgar posições e começar a marcar pontos.

 

Confira o grid de largada para o GP da Malásia:

FIA/FOM

(formula1.com)