Hamilton venceu e dispara na tabela de pontos - Sutton Images

Hamilton venceu, gerou reclamações de Rosberg e dispara na tabela de pontos – Sutton Images

O inglês Lewis Hamilton virou dragão chinês e dominou todo final de semana venceu de ponta a ponta o modorrento GP da China, disputado domingo (12), no circuito de Xangai. O piloto da Mercedes largou da pole position, foi o mais rápido em todos os treinos livres, liderou a prova de ponta a ponta e comandou mais uma dobradinha da equipe Mercedes. Sebastian Vettel, da Ferrari, completou o pódio. A etapa começou movimentada, mas terminou muito chata com a bandeirada dada em fila indiana porque o motor Renault da STR de Max Verstappen explodiu a duas voltas do final e forçou a entrada do carro de segurança.

 

Sebastian Vettel, da Ferrari, mostrou que pode interromper domínio da Mercedes no Bahrein, domingo - Sutton Images

Sebastian Vettel, da Ferrari, mostrou que pode interromper domínio da Mercedes no Bahrein, domingo – Sutton Images

Com seu 35º triunfo vitória da carreira de 151 provas, Lewis Hamilton dispara na liderança do Mundial, a agora com um total de 68 pontos com 13 de vantagem sobre Sebastian Vettel, segundo colocado e Rosberg, o terceiro, com 51 pontos. Felipe Massa aparece como quarto na tabela do Mundial de Pilotos, com 30.

 

Massa fez uma corrida burocrática com um carro que precisa evoluir - Sutton Images

Massa fez uma corrida burocrática com um carro que precisa evoluir na fase europeia- Sutton Images

A primeira volta foi movimentada com disputas por posição em todos os setores do minguado grid. Mas foi só isso. O domínio da equipe da estrela solitária se impôs na dianteira do pelotão e, com isso, deixou a prova enfadonha, monótona mesmo para quem perdeu horas de sono para ver desfile de carros e não corrida disputada algo que vem acontecendo com frequência nos últimos anos. Nem Vettel, vencedor da etapa da Malásia, ameaçou as Mercedes, e viu seu companheiro de equipe, o finlandês Kimi Räikkönen terminar em quarto lugar após deixar para trás Felipe Massa, da Williams, ainda na largada.

 

Felipe Nasr fez uma boa apresentação e terminou o GP da China na 8ª posição - Getty Images

Felipe Nasr fez mais uma boa apresentação e terminou o GP da China na 8ª posição – Getty Images

O brasileiro da Williams completou a corrida em quinto, desta vez, à frente de seu companheiro de equipe, Valtteri Bottas, e após o término da corrida deixou claro que os carros de Frank Williams precisam evoluir para poderem acompanhar o ritmo da Ferrari, hoje a segunda força da F1. Se o GP da China trouxe alguma surpresa, o responsável foi Romain Grosjean, da ainda problemática e instável Lotus, que chegou na sétima posição, seguido por Felipe Nasr, da Sauber, Daniel Ricciardo, da Red Bull, e Marcus Ericksom, da Sauber.

 

A corrida chinesa só teve um único momento que justificou ficar acordado à custa de ingestão de café: a disputa dos novatos Carlos Sainz Jr. e Max Verstappen, ambos da STR. O espanhol andou forte e soube tirar do carro da equipe satélite da Red Bull o que a nave mãe não consegue. Já o holandês desceu a botina e temperou o molho ralo do yakisoba ao disputar posição com um campeão mundial, o inglês Jenson Button. Que os novatos têm potencial não resta dúvida. Sabem jogar limpo na pista, mas ainda precisam de quilometragem. Isso é questão de tempo.

 

Pistão do motor da STR de Max Verstappen fura a duas voltas do final - Sutton Images

Pistão do motor da STR de Max Verstappen fura a duas voltas do final – Sutton Images

Choro de perdedor – Após levar um verdadeiro baile do inglês, Nico Rosberg reclamou, durante entrevista coletiva, que foi prejudicado pelo seu companheiro de equipe, dizendo que Hamilton o deixou como alvo de Vettel e Räikkönen, pilotos da Ferrari. Segundo o alemão, Hamilton o segurou nas primeiras voltas a ponto de deixá-lo na alça de mira dos pilotos da Ferrari. Ora, bonitão, corrida se ganha na pista, no arrojo e não fora dela com reclamações ao chefe. Niki Lauda fez ouvidos de moco. Ou seja, entrou por um ouvido e saiu pelo outro, enquanto o atual campeão e líder na tabela de pontos respondeu. “Quero correr. Isso é automobilismo, as disputas. Nico não tentou me ultrapassar. A equipe disse que talvez ele estivesse se sentindo confortável em segundo, e eu respondi ‘bem, essa é a diferença entre nós”. Rosberg, injuriado, disse que não quer mais papo com o inglês. 

 

Demitido da Ferrari, Alonso, agora na McLaren-Honda, vê ex-equipe andar na frente e ele lá atrás - Sutton Images

Demitido da Ferrari, Alonso, agora na McLaren-Honda, vê ex-equipe andar na frente e ele lá atrás – Sutton Images

Por outro lado, o dirigente não poupou críticas a Fernando Alonso, que no momento vive entre o martírio da ainda inconsistente – para não dizer sofrível McLaren-Honda e sua demissão da Ferrari – e ver o time que defendia devolver a alegria ao tetracampeão mundial, o alemão Sebastian Vettel.  “Ele fala demais”, disse Lauda. Com razão. O asturiano tem um ego sem tamanho e se acha acima de qualquer coisa. A Ferrari, é sabido, não aceita reclamação de funcionário e deu-lhe um pé no traseiro. Não quero dizer que a McLaren não vá evoluir. Vai. Mas precisará de tempo e paciência, coisa que Alonso não tem. Também seria injusto dizer que ele desaprendeu a acelerar. No ano passado foi ele que levou nas costas um carro mal nascido. Mas que é duro levar volta de um carro no qual ele não botou fé, isso é. 

 

GP da China, resultado final: 

Crédito: formula1.com

Crédito: formula1.com

 

Crédito: formula1.com

Crédito: formula1.com