Lucas di Grassi, o mentor do circuito carioca - Reprodução

Lucas di Grassi, o mentor do circuito carioca – Reprodução

O piloto e diretor de projetos especiais da F-E Lucas di Grassi revelou quinta-feira (12) o traçado que será utilizado na etapa brasileira da categoria, no Rio de Janeiro. Será na Marina da Glória, na capital carioca, e contará com 2.291 km de extensão. O projeto foi desenvolvido pelo próprio brasileiro. “Numa pista de rua, não se tem muito o que inventar, tem que respeitar os limites do lugar, até porque ali não pode derrubar árvores, nada disso”, disse Lucas ao GloboEsporte.com. Em seguida, relatou como desenvolveu o projeto e explicou seus detalhes.

 

“Fiz o desenho básico no Google Earth e, depois, encaminhamos a uma empresa especializada, que aprontou o que precisa ser feito em termos de áreas de escape, recapeamento, que é para receber o padrão FIA“, detalhou. “Este é um circuito que vai ficar semi pronto e que poderá ser usado também por outras categorias.” As retas não ultrapassarão 600 metros por questões econômicas. A explicação é técnica: retas mais longas exigiriam maior potência, mais investimento nos motores e, também, mais despesas com a montagem do circuito em questões relacionadas à segurança.

 

Circuito foi desenhado a partir do Google Earth - Reprodução

Circuito foi desenhado a partir do Google Earth – Reprodução

 

“Vários pilotos de alta capacidade já demonstraram interesse em disputar a F-E. Reservas da F1, titulares do Mundial de Endurance, gente que saiu de categorias como a GP2, a Indy… Podemos ter uma espécie de Corrida dos Campeões com vários pilotos talentosos de diversas categorias”, comentou Di Grassi. Dez equipes já confirmaram inscrições na nova categoria, entre elas, as ex-F1 Virgin e Super Aguri e, também, Dragon e Andretti, ambas em atividade na Indy. A etapa do Rio de Janeiro está prevista para 15 de novembro do próximo ano.