Skip to content

RICARDO RIBAS

Jornalismo feito por jornalista

Archive

Category: Crítica
Samba do crioulo doido. É assim que se podem definir as reformas a ser executadas no Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos. A FOM (Formula One Management), detentora dos direitos comerciais da F1, fez uma série de exigências para manter uma etapa da categoria no calendário até 2020. As negociações entre a prefeitura de São Paulo e Bernie Ecclestone, presidente da FOM, começaram no ano passado na gestão ex-prefeito Gilberto Kassab e continuaram na atual com o petista Fernando Haddad.   Só que houve uma reestruturação de custos. Originalmente, as obras estavam orçadas em RS$ 400 milhões e caiu para R$ 130 milhões. Ou seja, uma diferença financeira de algo em torno de 52%. Mágica não é. Alguma coisa ficará só no papel ou, na melhor das hipóteses, no discurso do “prefeito das faixas exclusivas de ônibus”. O contrato em vigor vence em 2014.   A diminuição do valor é parcialmente explicada pelo fato de uma melhora na aparência do entorno do autódromo Continue lendo [...]
  A sociedade paulistana está no mato sem cachorro. O prefeito toma uma decisão, a Justiça vota contra. O que antes estava suspenso, com uma martelada, volta a ser obrigatório e nos mesmos moldes. A inspeção veicular volta a ser obrigatória a partir desta quinta-feira (17), informou a Prefeitura de São Paulo na noite de quarta-feira (16). A medida foi anunciada em cumprimento à decisão da Justiça que obriga a prefeitura a retomar os serviços na Capital. A prefeitura afirma que vai publicar nesta quinta-feira no Diário Oficial uma portaria com detalhes sobre a retomada da inspeção veicular. A informação foi publicada no portal UOL, dia 16.   O Executivo municipal esclarece que os motoristas que tinham inspeção agendada para segunda (14), terça (15) e quarta-feira (16) devem fazer um novo agendamento. Aqueles que estavam agendados para esta quinta-feira em diante deverão comparecer no horário marcado para realizar o serviço. "Aqueles (proprietários) que ainda Continue lendo [...]
  Fedeu! Quando alguma mudança afeta o orçamento não há quem aceite de boca calada. Na semana passada, a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) anunciou um novo Pacto da Concórdia, válido até 2020, que abre caminho para que a FOM (Formula One Management) negocie o fornecimento de combustível com um único fornecedor. O documento, assinado pela FIA e pela FOM, detentora dos direitos comerciais da F1, afirma que Bernie Ecclestone está “autorizado a conduzir negociações comerciais com potenciais fornecedores”. A informação é do diário alemão Bild.    Pelo novo Pacto da Concórdia, a FIA aumentou a participação nos lucros e, em contrapartida, se comprometeu a criar um grupo de estratégia para decidir as novas regras da categoria, acabando com a comissão que existia anteriormente nesta função. Jean Todt, presidente da FIA, comemorou o êxito nas negociações. “Nós podemos ficar orgulhosos desse acordo, que estabelece bases mais efetivas para Continue lendo [...]
A temporada de boatos está sensacional na metade final do campeonato da F1. Desta vez, se cogita o retorno de Rubens Barrichello para disputar a edição 2013 do GP do Brasil pela Sauber. Impossível? Nem tanto. Principalmente por que o rumor não correu pela “rádio paddock” e sim por uma publicação de peso, o jornal O Estado de São Paulo, que estampou a notícia sábado (28). Segundo o jornal, Barrichello não descartou a possibilidade de retornar à F1 no ano que vem e sua participação no GP do Brasil deste ano teria o apoio de Bernie Ecclestone, diretor da FOM (Formula One Management).   Esse não é o primeiro boato que dá conta do retorno de Barrichello à F1 e pela Sauber, que deve perder o alemão Nico Hülkenberg, talvez para a Lotus. A revista germânica Auto Motor und Sport, indica que Barrichello mantém boas conversas com a cúpula da Sauber e ainda pensa em correr na F1, levando cerca de € 10 milhões (aproximadamente R$ 30,5 milhões) de seu patrocinador Continue lendo [...]
  A Fox garantiu, após duras negociações com a Globosat, os direitos de transmissão das Olimpíadas do Rio em 2016 e da Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Discute-se agora como será a participação da emissora na Fórmula 1 a partir do ano que vem. A transmissão da Copa do Brasil em 2014 já havia sido anunciada, segundo matéria assinada pelo jornalista Luís Augusto Simon, no UOL, dia 29. A notícia já havia sido divulgada aqui no RR.   As negociações começaram no final de 2011, quando os canais Sportv, da Globosat, anunciaram sua grade de programação para o ano seguinte. Nela, constava a Copa Libertadores da América, um dos eventos mais chamativos em termos de audiência e de retorno publicitário. O pacote comercial havia sido vendido com a garantia de transmissão do evento sul-americano.     A Fox, que tem os direitos de transmissão da Libertadores para toda a América do Sul, avisou a Globosat que inauguraria seu próprio canal de esportes no Brasil no Continue lendo [...]
  O desinteresse do telespectador e, consequentemente, perda de audiência nas televisões retransmissoras da F1 não é um fenômeno imediato, é mediato. A mais categoria do automobilismo mundial é hoje um rascunho, do ponto de vista esportivo, do que foi no passado. Os mandatários da categoria acreditaram que a divisão se encerrava nela mesma e que os negócios deveriam estar à frente do esporte. Além disso, o espectador precisa de ídolos e a F1 se distanciou de tal forma, que um piloto que começa a temporada pode muito sair de cena já que o grid é formado por pilotos pagantes, e muitos deles com experiência questionável. Sem vitórias, sem estrelas nacionais e com carência até mesmo de pilotos que possam ser chamados de “promessas”, a Fórmula 1 afunda no ibope na TV aberta. Dados obtidos por este site apontam que nos últimos dez anos a Globo perdeu mais da metade da audiência nesse esporte: 55%, para ser bem exato. Em 2002, a média de ibope das transmissões Continue lendo [...]
  O Brasil acordou. O estopim do barril de pólvora foi aceso com o aumento da passagem dos ônibus. Mas o fenômeno social que se vê nas ruas nos últimos dias em todo país tem nuanças muito mais complexas e legítimas. O diamante, finalmente, começa a ser lapidado pela grita geral de todos os setores da sociedade. A hora do “BASTA!” é agora. O povo, sem medo, ganhou as ruas para manifestar seu descontentamento com a atual situação política a qual perdoa quem foi julgado culpado e coloca uma cortina de fumaça, através da não aceitável prática de assistencialismo implantada, em caráter de emergência, pelo presidente Lula ao oferecer bolsa disso, bolsa daquilo e teve continuidade na administração Dilma Rousseff e nos escalões abaixo, representados pelos governos estaduais e municipais, todos coniventes, afinal, todos ganham. Menos o povo.   Se o Brasil é hoje a bola da vez do BRICS, é também um país, até agora, negligente com seu povo, ao ser ludibriado Continue lendo [...]
  Você, caro leitor, já deve ter ouvido a expressão “embromation” (fala-se: embromeichon e significa embromação, enrolação, passar a bola, entre outros). É bem isso que o prefeito carioca Eduardo Paes está fazendo para minimizar o efeito de desativar o Autódromo de Jacarepaguá e deixar pilotos e equipes a pé. Para piorar a situação, o fechamento do autódromo se converteu em um gasto extra para a Prefeitura do Rio de Janeiro. Isso porque, sem pista para corrida, a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer pagará R$ 1,1 milhão à Faerj (Federação de Automobilismo do Estado do Rio de Janeiro) para que a entidade promova o Campeonato Carioca de Automobilismo em Minas Gerais, uma demonstração explícita de falta de planejamento e pior, de promessa de uma nova praça de esporte que está longe de ser cumprida.     O valor foi acertado entre a federação e prefeitura ainda no início deste mês. A autorização para o pagamento já foi dada pelo secretário Municipal Continue lendo [...]
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial