A chance de ser campeão é pequena, mas não tira o ânimo de Alberto Otazú – Foto : Emerson Santos

 

O Campeonato Asseka dará início ao seu play-off neste sábado (23), com a disputa da oitava e antepenúltima etapa no Kartódromo Ayrton Senna, em Interlagos, em São Paulo (SP). Após sete etapas, apenas sete pilotos disputarão o título de campeão da temporada nas três últimas corridas: Erick Nemez, Cristian Peticov, Valdir Silva, Anderson Darc, Luan Oliveira, Clóvis Silva e Alberto Cesar Otazú.

 

As sete primeiras etapas do Asseka foram consideradas classificatórias, e as três últimas etapas são consideradas como fase final, denominada Grand 7. Os pilotos que venceram ao menos uma das corridas na fase classificatória – Erick Nemez (2), Alberto Cesar Otazú (2), Márcio Simão (2) e Cristian Peticov (1), automaticamente deveriam ser classificados para este play-off. No entanto, como Simão não compareceu à última prova disputada, pelo regulamento ele está alijado do play off. Os outros quatro foram selecionados pelas melhores posições na tabela de pontuação acumulada. Para diferenciar os pilotos do Grand 7, eles começam com 400 pontos, mais bonificações e menos eventuais punições.

 

Caçula do certame, Otazú é destaque no kart amador – Foto: Emerson Santos

 

“Eu fui o único piloto classificado para o Grand 7 que ficou com menos de 400 pontos, pois fui punido por ter trocado de kart na sexta etapa. Acho extremamente exagerado ficar carregando punições, como um pecado mortal. Poxa, tive que largar parado de dentro dos boxes na ocasião, e ainda perdi 10 pontos na fase classificatória. Acho que já seria o suficiente”, comentou Alberto Cesar Otazú (Braspress/Pilotech/Alpie Escola de Pilotagem/HTPro Nutrition).

 

O piloto que troca de kart, exceto em caso de quebra ou falha mecânica do kart, comprovada pela equipe de mecânicos do kartódromo é penalizado em 10 pontos e fica parado nos boxes até o final do treino, largando de lá. O piloto classificado para o Grand 7 que receber qualquer penalidade durante a fase classificatória leva os pontos a menos também para a fase final.

 

“Como aceitei o regulamento no começo do ano, aceito a punição, mas não concordo. Acho que este item deve ser revisto para a próxima temporada. Agora a minha chance de ser campeão é praticamente nula, mesmo que eu ganhe as três últimas corridas, que é o meu objetivo”, continua o caçula do campeonato, que acumula o mesmo número de pole positions – três – e de vitórias – duas – que o líder Erick Nemez, mas tem quatro voltas mais rápidas. “O campeonato é sensacional. É bem organizado, todos os pilotos são leais, amigos, mas extremamente competitivos. Por isto é que sugiro uma adequação para o próximo ano”, completa o jovem de 16 anos.

 

Os dez primeiros do campeonato Asseka são:

1) Erick Nemez, 410

2) Cristian Peticov, 405

3) Valdir Silva, 400

4) Anderson Darc, 400

5) Luan Oliveira, 400

6) Clóvis Silva, 400

7) Alberto Cesar Otazú, 390

8) Márcio Simão, 134

9) Bruno Escarim, 124

10) Vinicius Neves, 102

Fonte: Organização