Rubinho pode ser titular da Sauber em 2014 - Foto: Sutton Images

Rubinho pode ser titular da Sauber em 2014 – Foto: Sutton Images

Monisha Kaltenborn, diretora da Sauber, confirmou quinta-feira (3) o interesse na contratação de Rubens Barrichello, afastado da F1 desde o fim de 2011, para a temporada 2014. A possibilidade do retorno do brasileiro foi comentada pela revista alemã Auto Motor und Sport na semana passada. Segundo a publicação, o veterano teria um bom pacote financeiro – fala-se em cerca de 10 milhões de euros (R$ 30 mi) – para oferecer à equipe, que até então tem apenas o jovem russo, de 18 anos, Sergey Sirotkin, como titular confirmado para o ano que vem, mas ele ainda precisa obter a superlicença para pilotar na F1.

 

A experiência de 19 temporadas seguidas de Barrichello é vista pela equipe como um trunfo na fase de transição para o regulamento técnico de 2014, quando a F1 voltará a permitir motores turbos na categoria. A dupla atual do time, formada por Nico Hülkenberg e Esteban Gutiérrez, deve se desfazer: o alemão é um dos candidatos a assinar com a Lotus, e o estreante mexicano não tem conhecimento para liderar o projeto da equipe na próxima temporada.

 

 

Monisha Kaltenborn, a chefe, estuda possibilidades -  Foto: Divulgação

Monisha Kaltenborn, a chefe, estuda possibilidades – Foto: Divulgação

“Vamos anunciar nossa dupla de pilotos no seu devido tempo. Há uma porção de alternativas. Sabemos o Rubens tem a oferecer, sua experiência, sabemos que ele gostaria de voltar, então temos que analisar”, disse Kaltenborn. A dirigente negou o rumor que dizia que Barrichello correria pela Sauber no GP do Brasil, em novembro. “Não vejo nenhuma possibilidade disso, pois não temos nenhum motivo para mudar nossa dupla para esta prova”, declarou.

 

Aos 41 anos, Barrichello disputou um total de 322 GPs na F1. Ele estreou na principal categoria do automobilismo em 1993, onde correu pela Jordan, Stewart, Ferrari, Honda, Brawn e Williams. No seu histórico contabiliza 11 vitórias, 14 poles e 68 pódios. No final da temporada de 2011 perdeu o emprego na Williams, sendo substituído por Bruno Senna. Atualmente, ele participa da Stock Car.

 

 

Massa está otimista - Foto: Daniele La Monaca/Reuters

Massa está otimista – Foto: Daniele La Monaca/Reuters

Compasso de espera – Outro brasileiro, Felipe Massa está otimista em permanecer na F1 na próxima temporada desde que encontre vaga em uma equipe que lhe ofereça um carro competitivo. Tendo sua carreira gerenciada por Nicolas Todt, filho do presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) Jean Todt, as negociações continuam, mas Massa permanece evasivo. “Estou bastante otimista de que vamos encontrar uma boa solução. Eu não mudarei de ideia, quero estar em um carro que me dê boas chances de brigar lá na frente. Não acho interessante estar em um carro que não permita que eu faça isso”, pontuou.

 

Massa disputará as últimas etapas da temporada com Ferrari. “Eu ainda estou focado nas corridas finais. Estamos conversando com algumas equipes, mas não acho que seja o momento certo de pensar nisso. A hora certa é quando você sabe para onde vai. Há algumas oportunidades boas, eu penso, mas é melhor aguardar e dizer no momento certo”, disse, lembrando, que ainda pode ajudar a Ferrari nos preparativos para o carro de 2014, embora saiba que a equipe não vá testar nada até o final da atual temporada. “Não há muito que fazer para 2014. O carro será completamente diferente no próximo ano, não é tão simples testar algo novo às sextas-feiras. Tudo começa do zero ano que vem, mas se tivermos novas peças, espero poder ajudar”, encerrou.