Rosberg conquistou sua 24ª pole e se igualou a Niki Lauda e Nelson Piquet - Sutton Images

Rosberg conquistou sua 24ª pole e se igualou a Niki Lauda e Nelson Piquet – Sutton Images

 

Nico Rosberg, da Mercedes, larga da pole-position na GP da Rússia, a ser disputado domingo (1º), no circuito de Sóchi, ao lado de Valtteri Bottas, da Williams. O alemão contou de novo com a falta de sorte de seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton, que teve problemas na unidade de força e sequer entrou na pista no Q3 e larga da décima posição. A sorte também não tem acompanhado Sebastian Vettel, da Ferrari, que apesar de ter conquistado a segunda posição foi punido e sairá em sétimo. Melhor para Felipe Massa, que herdou uma posição e largará ao lado de Kimi Räikkönen. Nasr, da pré-falimentar Sauber, marcou apenas o 19º tempo. Mas a corrida promete.

 

Hamilton teve problema mecânico e larga da décima posição - Sutton Images

Hamilton abandonou o Q3 e larga em 10º – Sutton Images

Largando atrás, se não tiver mais problemas, Hamilton reúne condições técnicas para fazer uma prova de recuperação, como no espetacular GP da China, quando largou em último e terminou em terceiro. O mesmo vale para o tetracampeão mundial Sebastian Vettel. A Ferrari evoluiu e é hoje a segunda força da Fórmula 1, mas padece de confiabilidade. Este ano, a escuderia de Maranello na ânsia de disputar na Mercedes já teve motor incendiado, quebras e, ou se organiza internamente ou terá de se contentar em ser apenas a segunda força da categoria já que a Red Bull, com o australiano Daniel Ricciardo na terceira posição na tabela de pontos, o primeiro atrás da dupla mercediana. Vettel e Räikkönen estão na quarta e quinta posições, respectivamente.

 

Massa, por sua vez, sexto na tabela de pontuação, pode surpreender, talvez até com um pódio na Rússia, e se manter a frente de Bottas. Isso porque o circuito de Sóchi é de média-alta velocidade e a pista não é uma devoradora de pneus. Ou seja, teoricamente, exigirá menos estratégia de boxe, o ponto fraco da Williams. Por outro lado, seu companheiro de equipe está disposto a reverter a situação e tentar entrar pelo menos na disputa interna com Massa. Até agora, o finlandês marcou apenas sete pontos e é o décimo na tabela.

 

Massa foi bem até o Q2, mas não conseguiu ir além da quinta posição duas atrás de Bottas - Sutton Images

Na pista, Massa foi quinto, mas ganhou uma com punição de Vettel – Sutton Images

 

Situação crítica mesmo é a de Felipe Nasr. A Sauber continua com posição financeira nada favorável e mesmo corrigindo o projeto do carro, que, pasmem, ouvia as reclamações do piloto sobre os freios no ano passado e só conseguiu corrigir a espessura dos freios este ano. Mesmo sendo cliente Ferrari, o carro deste ano não dá pinta que possa evoluir a ponto de oferecer aos pilotos condições de saírem do fundão do grid, atrás até da Manor.

 

Ainda falando sobre disputa interna, Nico Rosberg, o cara da temporada, soma até agora 75 pontos, enquanto seu companheiro de time, o tricampeão Hamilton, amarga 39 pontos e uma onda de azar inexplicável. A tabela de pontos é cruel e confirma. Se vencer domingo, o alemão somará cem pontos e a diferença para o inglês, que é de 36 pontos, ganhará mais musculatura e não será com bomba de anabolizantes, é na pista. Hamilton aparenta tranquilidade, mas sabe que terá de se desdobrar caso não queira dar de mão beijada o título campeão mundial ao seu único rival, Nico Rosberg, que ao conquistar sábado sua 24ª pole-position se igualou a dois tricampeões mundiais, seu chefe Niki Lauda e Nelson Piquet.

 

A largada do GP da Rússia será domingo às 9 horas (horário de Brasília).

 

Confira abaixo o grid de largada:

 

(Crédito: formula1.com)

(Crédito: formula1.com)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Confira abaixo a tabela de pontos do campeonato: